Advertising

Uso do fone de ouvido da forma correta faz a diferença


Nos últimos tempos, tem crescido o debate em torno dos cuidados com a audição, sobretudo após a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluir, no ano passado, o combate à perda auditiva como uma das cinco prioridades para o século 21. É que cada vez mais pesquisas científicas apontam que o número de pessoas que pode ficar sem ouvir deve alcançar e até ultrapassar a marca do bilhão.

Em tempos de quarentena e isolamento social, o trabalho remoto e as aulas à distância ganharam espaço. Com eles, as reuniões por videoconferência foram intensificadas, assim como o consumo de filmes, vídeos e músicas. Em todas essas atividades, as pessoas podem recorrer aos fones de ouvido para não sofrer interferências de ruídos externos. Mas é preciso estar atento aos danos que o uso indevido pode acarretar para a saúde auditiva.

De acordo com o otorrinolaringologista e cirurgião craniomaxilofacial Corintho Viana, o principal cuidado com o uso do fone não está no tipo do produto, mas no volume que o usuário escuta. “O fone ideal é o fone confortável”, destaca. “Você pode usar qualquer um dos dois modelos (intra-auricular ou tipo concha), mas o mais importante é ter atenção ao volume”, pontua. No entanto, o especialista alerta que, como algumas pessoas têm sensibilidade maior na região do ouvido - a exemplo da otite externa -, os fones intra auriculares, nesses casos específicos, podem provocar lesões. “Além da otite, é interessante ter cuidado com os fones intra-auriculares, porque a forma incorreta de inserir no ouvido pode ferir, facilitando para uma possível infecção”, evidencia.

Por Marjourie Corrêa/FPE

Postar um comentário

0 Comentários